top of page

Abuso: Considere Jesus, a esperança final para vítimas de abuso

O abuso causa danos a alma de maneiras que somente o Deus Redentor pode curar. Portanto, para sermos conselheiros fiéis, devemos reconhecer que a maior necessidade de uma vítima de abuso é a sua necessidade de conhecer Aquele que foi abusado mais do que qualquer outro. Juntamente com necessidades práticas de proteção, justiça e restauração, a alma da pessoa que sofreu abuso precisa de cuidados. Elas precisam de paz, segurança, e cura que fluem do Amante de suas almas, Aquele que não somente sabe tudo sobre o sofrimento delas, mas que verdadeiramente se identifica com elas.

O meu objetivo nesse artigo é ajuda-lo a ministrar a essa necessidade—a necessidade que a alma quebrantada e desiludida tem por alguém que verdadeiramente entende e se importa.

A Palavra de Deus, em seu todo, fornece o único modelo confiável para uma teologia do sofrimento, mas também há passagens específicas que ajudam o aconselhamento de pessoas que sofreram abuso. O Salmo 22 é uma dessas passagens. Talvez nenhum outro salmo descreva a intensidade do sofrimento em um mundo caído como esse. Ele pinta um retrato da vida nos tons mais escuros de cinza. Aqui vemos a realidade do abuso e a intensidade de seus efeitos na vida de alguém. Mas também encontramos uma esperança que transcende o abuso. Ao meditar no Salmo 22, entramos no mundo doloroso do rei Davi e vemos Aquele para qual o Espírito apontava de forma final—o Homem de dores e nosso Rei vindouro, Jesus Cristo.

Considere os Sofrimentos de Jesus

O Salmo 22 é um dos maiores testemunhos da integridade das Escrituras. Sem dúvidas, somente o Espírito Santo poderia ter registrado de forma precisa as experiências da vida de Davi de maneira que elas também previssem perfeitamente o sofrimento do Salvador. Como o maior filho de Davi, os sofrimentos e abusos do nosso Salvador estão descritos detalhadamente aqui.

  1. Um sentimento profundo de abandono, perda de relacionamento (Salmo 22.1–2)—compare esses versos com Marcos 15.33–34

  2. Desprezado pelos outros (Salmo 22.6)—medite em Isaías 53.3

  3. Olhares de desprezo, gestos de zombaria (Salmo 22.7)—leia Marcos 15.27–30

  4. Insultos verbais (Salmo 22.8)—veja o cumprimento em Marcos 15.31–32 e Lucas 23.39

  5. e com problemas (Salmo 22.11)—para um exemplo, leia Mateus 26.38–40

  6. Cercado por inimigos (Salmo 22.12–13)—compare com Mateus 26.43–46

  7. Espírito esmagado, exaustão física até o ponto de morte (Salmo 22.14–15)—medite em João 19.28–30

  8. Dor intensa, abuso físico (Salmo 22.16)—João 19.1–3 descreve partes, bem como Lucas 23.33

  9. Humilhação (Salmo 22.17)—para um exemplo, leia Lucas 23.35

  10. A vergonha da nudez (Salmo 22.18)—veja o cumprimento em Mateus 27.28, 35

  11. Necessidade de ajuda externa (Salmo 22.19–21)—leia Marcos 14.35–36; 15.20–21

Caminhe por este Salmo com aqueles a quem você aconselha e olhe para o seu cumprimento nos Evangelhos. Reserve um tempo para meditar sobre a intensidade do abuso que nosso Senhor sofreu, o que resulta em uma compreensão mais profunda de sua identificação com aqueles que são abusados por outros. Ore o Salmo 22 com eles. Peça que considerem Jesus como seu Salvador compassivo.

Considere a Força de Deus

Misturados com o sofrimento horrível descrito no Salmo 22 estão verdades sobre o caráter de Deus, que é a fonte última de força.

  1. Deus é santo e soberano (Salmo 22.3)

  2. Deus é fiel (Salmo 22.4)

  3. Deus é confiável (Salmo 22.5)

  4. Deus está perto (Salmo 22.9–10)

  5. Deus é nosso ajudador (Salmo 22.19–21)

Ao comparar os sofrimentos de Davi no Salmo 22 com os sofrimentos de Jesus nos Evangelhos, você verá maneiras pelas quais nosso Salvador foi fortalecido ao repetir algumas dessas verdades em oração. Direcione a vítima de abuso a fazer o mesmo, a refletir sobre o caráter imutável de Deus.

Considere a Empatia de Deus

É comum que pessoas que sofrem de abuso se sintam desprezadas, mesmo por Deus. Portanto, é vital que você chame a atenção delas para as descrições afetuosas do amor de Deus, como:

“Pois não desprezou, nem abominou a dor do aflito, nem ocultou dele o rosto, mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro.” (Salmo 22.24)

“Os sofredores hão de comer e fartar-se; louvarão o SENHOR os que o buscam. Viva para sempre o vosso coração.” (Salmo 22.26)

Ao prosseguir até o final do Salmo 22, você verá mais e mais vislumbres da fé do rei Davi na vinda do Messias. Ele decide proclamar o nome do Senhor, seu Salvador (Salmo 22.22) e declarar Seu reinado (Salmo 22.28). Mas, abrangidos nessas audaciosas declarações de fé, estão lembranças ternas da compaixão de nosso Senhor. Não perca isso de vista. Leve a vítima de abuso ao Salmo 22, onde ela encontrará um Conselheiro como nenhum outro, Aquele que verdadeiramente compreende, cuida e que virá em seu socorro.

Questões para reflexão

Leia Hebreus 2.14–18. Por que você acha que esses versos vêm logo após a exortação de “considerar Jesus” (Hebreus 3.1)? Como o Salmo 22 lhe informa sobre perguntas que você deve fazer a pessoas que sofreram abuso?

originalmente=">originalmente" publicado="publicado</a>" no="no" blog="blog" da="da" >Biblical=">Biblical" Counseling="Counseling" Coalition.="Coalition</a>." Traduzido="Traduzido" por="por" Gustavo="Gustavo" Santos="Santos" e="e" revisado="revisado" Lucas="Lucas" Sabatier.="Sabatier." Republicado="Republicado" mediante="mediante" autorização.="autorização.">

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page